FAS integra encontro global de líderes da rede SDSN, vinculada à ONU

Evento ocorreu em paralelo à Assembleia Geral da ONU e reuniu especialistas eminentes em desenvolvimento sustentável da academia, empresas, sociedade civil e setor público.

Os principais desafios enfrentados hoje pela humanidade, incluindo a pandemia da Covid-19, o uso da terra e as crises climáticas, bem como o futuro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), foram debatidos nesta quinta (24) e sexta-feira (25), na 16ª edição do encontro do Conselho de Liderança da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN). O superintendente da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e presidente da SDSN Amazônia, Prof. Virgilio Viana, foi uma das lideranças que integraram o evento.

A reunião fechada ocorreu das 8h às 11h (horário de Manaus), de forma virtual, em paralelo à Assembleia Geral das Nações Unidas (UNGA) e a Semana do Clima, em Nova York. 

O Conselho de Liderança supervisiona o trabalho da rede SDSN global, iniciativa lançada em 2012 para mobilizar o conhecimento científico e tecnológico em busca de soluções práticas para o desenvolvimento sustentável. É composto por especialistas eminentes em desenvolvimento sustentável da academia, empresas, sociedade civil e setor público. 

Entre os participantes do encontro, estava o diretor da SDSN Global, Jeffrey Sachs; o secretário-geral adjunto da ONU, Amina Mohammed; o alto representante da Aliança das Civilizações das Nações Unidas, Miguel Angel Moratinos; o professor da London School of Hygiene and Tropical Medicine, Andy Haines; o coordenador global da SDSN Youth, Sam Loni; e o gerente do Índice ODS da SDSN, Guillaume LaFortune.

Em âmbito regional, a Amazônia foi representada pelo co-chair da rede para a região Amazônica, SDSN Amazônia, Prof. Virgilio Viana, que é um dos membros fundadores da rede SDSN Global. Segundo o Professor Virgilio,  “houve um grande interesse dos membros do Conselho de Líderes sobre a mais recente iniciativa da FAS, em parceria com a Green Economy Coallition, para implementar o novo Hub de Economia Verde da Amazônia, que poderá contar com relevantes apoios das instituições membro da rede SDSN”. 

As discussões também tiveram como base a declaração da Comissão Lancet Covid-19, realizada pela equipe da SDSN e do Centro para Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Columbia, e emitida por ocasião da abertura da Assembleia Geral da ONU, no dia 15 de setembro. A Comissão foi criada em julho deste ano para ajudar governos, sociedade civil e as instituições da ONU a responder eficazmente à pandemia do novo coronavírus. 

A iniciativa pretende oferecer soluções práticas para os quatro principais desafios globais apresentados pela pandemia: suprimindo a pandemia por meios de intervenções farmacêuticas e não farmacêuticas; superando emergências humanitárias, incluindo pobreza, fome e sofrimento mental, causado pela pandemia; reestruturação de finanças públicas e privadas após a pandemia; e reconstruindo a economia mundial de forma inclusiva, resiliente e sustentável, alinhada com os ODS e o Acordo Climático de Paris. Muitas soluções criativas já estão sendo implementadas, e o principal objetivo da Comissão é acelerar a sua adoção no mundo todo.

A SDSN Amazônia 

Secretariada pela FAS, a SDSN Amazônia é uma rede que visa integrar os países da Bacia Amazônica, mobilizando universidades, organizações não governamentais, centros de pesquisa, instituições governamentais e privadas, organizações multilaterais e sociedade civil para acelerar o desenho e implementação de caminhos e soluções sustentáveis para a região.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *