Governo Wilson Lima está sendo vigiado e controlado

Manaus (AM) – O Governo Wilson Lima está sendo vigiado. A “intervenção” do Governo Federal se consolidou com a presença da cúpula do Ministério da Saúde, incluindo “visita” do ministro Nelson Teich.

O pedido de intervenção que a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) enviou ao presidente Jair Bolsonaro pedindo intervenção na Saúde, surtiu efeito. O governador Wilson Lima descartou a intervenção federal, mas o Ministério da Saúde tem acompanhado de perto as manobras do Governo, enquanto órgãos de inteligência estão colhendo dados há um mês, como foi noticiado pelo Roteiro de Notícias na primeira quinzena de abril.

Suporte

O governo federal, resolveu agir de forma direta. Na visita do ministro Nelson Teich, foram entregues  200 cilindros de oxigênio, 1.080 litros de álcool em gel e 452 mil Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), com máscaras, aventais, luvas e óculos. A distribuição está sendo acompanhada de perto pelo Governo Federal.

Também chegaram ao Amazonas 267 profissionais de saúde contratados pelo Ministério da Saúde para auxiliar no atendimento à população. São 37 médicos, 118 enfermeiros, 57 técnicos em enfermagem, 26 fisioterapeutas, 12 farmacêuticos, 17 biomédicos que fazem parte da ação estratégica ‘O Brasil Conta Comigo’ do governo federal. O Amazonas é o primeiro estado a receber essa ajuda.

Intervenção

No dia 20 de abril, os deputados pediram intervenção federal, Neste dia, o Amazonas registrava 2.479 casos de coronavírus e 207 mortes. Quinze dias depois o número de casos já ultrapassa os 7,3 mil e o número de mortes é de 585..

Votaram a favor da intervenção na saúde os deputados, Josué Neto, Abdala Fraxe (Podemos), Adjuto Afonso (PDT), Belarmino Lins (PP), Delegado Péricles (PSL), Dermilson Chagas (PP), Felipe Souza (Patriota), Fausto Júnior (PV), João Luiz (Republicanos), Mayara Pinheiro (PP), Serafim Corrêa (PSB), Sinésio Campos (PT) e

Com base no pedido de intervenção da Assembleia Legislativa, os Ministérios Públicos Federais (MPF), do Trabalho (MPT) e do Amazonas (MP-AM) recomendaram ao Ministério da Saúde que fiscalizasse as medidas adotadas pelo governo do Amazonas no combate à Covid-19 e caso constatasse a incapacidade de gestão do governo estadual, atuasse para garantir a prestação dos serviços à população amazonense.

Após Wilson Lima recusar a intervenção, os deputados do Amazonas reforçaram o pedido através de Carta Aberta ao Ministério da Saúde e Ministério da Defesa solicitando apoio e fiscalização na saúde do Amazonas. O pedido, aparentemente, desdobrou-se em uma ‘intervenção branca’ para manter a boa relação entre as instituições federais e estaduais e evitar desgastes políticos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *