Professor Batista e PM são presos por pedofilia

Manaus (AM) – O sargento da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) Antônio Joselito Coutinho Viana, de 53 anos, e o professor de Língua Portuguesa João Batista Costa e Silva, de 66 anos, proprietário do Curso Linguativa, foram presos na manhã desta segunda-feira (22), em Manaus, durante a operação “Kori”, desencadeada pela Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

O professor Batista e o PM são suspeitos, em situações distintas, de terem abusado sexualmente de duas irmãs, uma adolescente de 14 e a outra de 15 anos.

A irmã mais velha das duas, uma jovem de 19 anos, também relatou ter sofrido abuso dos dois homens quando era menor de idade.

A delegada Joyce Coelho, o sargento da PM foi preso na casa dele, no conjunto Hileia, bairro Redenção, localizado na Zona Centro-Oeste de Manaus, e o professor dentro da Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc), localizada na Zona Sul de Manaus, onde presta assessoria técnica.

Os dois foram presos em cumprimento de mandados de prisão temporária, com prazo de 30 dias, expedidos no dia 18 de julho de 2019, pela juíza Themis Catunda de Souza Lourenço.
Professor de cursinho

Batista, como é conhecido o professor, exerve o magistério em Cursos Vestibulares desde a década de 70 e foi o primeiro proprietário do Curso Equipol.

O professor também foi coordenador do Projeto Aprovar, desenvolvido pela Universidade do Estado do Amazonas.

A prisão temporária de Batista causou espanto entre milhares de alunos que se prepararam para concursos nos cursos onde ele lecionou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *