PMM divulga estatística da violência sexual e presta atendimento especializado

Manaus (AM) – A violência sexual em Manaus atinge um patamar de 58% do número de casos em menores de idade, entre 7 a 15 anos. Somente até fevereiro deste ano, já foram 123 vítimas, segundo dados do Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (SAVVIS), instalado na maternidade Moura Tapajóz, na Compensa, zona Oeste.

E, a cada ano, a estatística só aumenta, com ênfase na faixa etária de 12 a 15 anos de idade (pré-adolescente a adolescência), responsável por 35% dos casos, seguida pela infância, de 7 a 11 anos, com 23% dos registros. Fatores socioeconômicos e culturais são agravantes para esse quadro, conforme avalia a coordenadora do SAVVIS, a médica Zélia Campos.

De origens diversas, os casos de violência sexual também se relacionam com a situação de desemprego e má distribuição de renda na sociedade, fatores que agravam a situação de famílias e ampliam os conflitos internos de seus membros.

“Por vergonha social ou até por desconhecimento da existência do serviço de atendimento, muitas mulheres não denunciam, por exemplo, aos maus-tratos e deixam de ser acolhidas e apoiadas”, destaca a Zélia, acrescentado que as pessoas com baixa renda, muitas vezes, não dispõem de recursos financeiros para ir a uma delegacia registrar o caso, procurar o Conselho Tutelar da sua zona ou buscar acolhimento no SAVVIS.

Por outro lado, as denúncias também têm crescido anualmente, em consequência da divulgação das ofertas de serviços nas redes de saúde e de proteção social. A equipe multiprofissional de saúde da Prefeitura de Manaus realiza atendimento e acolhimento humanizados às vítimas de violência sexual em parceria com órgãos da gestão estadual da saúde, Conselhos de Classe e Tutelares e Unidades de Saúde.

Em 11 anos de existência do SAVVIS, foram mais de 7,5 mil atendimentos em uma parceria nas ações, fortalecendo a rede de atenção humanizada na capital e estado do Amazonas.

Casos Agudos

A rede de serviços do SAVVIS está preparada para atender os casos agudos de violência sexual, em regime de plantão 24 horas. A orientação para esses casos, onde o atendimento deve ocorrer em até 72 horas do fato ocorrido, é o acolhimento e a intervenção de crise, que consiste na administração da pílula de emergência; prevenção das principais Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) e HIV; coleta de secreção vaginal e/ou anal ou oral para exame de DNA e exames laboratoriais.

Há ainda respostas aos danos secundários no campo emocional, provocados pela violência sexual que recebe a atenção do serviço de atendimento da Moura Tapajóz, formado por uma equipe multiprofissional (médico, enfermeiro, psicólogo e assistente social), especialmente preparada para o atendimento prioritário e reservado, inclusive com leitos específicos em enfermaria em casos que se mostrem necessária a internação.

Nos casos considerados crônicos, quando a violência sexual aconteceu ou vem ocorrendo há muito tempo, a maioria das vítimas são crianças e adolescentes e o agressor costuma ser o mesmo. Para essas situações, o procedimento adotado é o acolhimento; a realização de exame físico e laboratorial, a fim de diagnosticar e tratar possíveis doenças contraídas do agressor; e avaliação psicológicas para reduzir danos e minimizar possíveis sequelas.

Em todos os casos são mantidos o acompanhamento ambulatorial por seis meses, a partir da data da última violência sexual sofrida. Ainda consta como procedimento obrigatório adotado pelo SAVVIS, as notificações dos casos de violência para a Vigilância Epidemiológica e aos Conselhos Tutelares, em caso de crianças e adolescentes. É importante destacar que a assistência à saúde prestada pelo SAVVIS às vítimas de violência sexual, é realizada com ética e tem o desenvolvimento do tratamento sob sigilo.

A Policlínica Antônio Reis, localizada no bairro de São Lázaro, zona Sul, é a unidade de saúde do município de Manaus, que dispõe de equipe multiprofissional com qualificação para prestação do serviço e conta com o atendimento ambulatorial de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h. Denúncias podem ser realizadas pelo telefone (92) 3216-8767, da maternidade Moura Tapajóz.

Ampliação dos serviços

O Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (SAVVIS) tem sido utilizado como modelo na implantação de projetos semelhantes em outros municípios do Amazonas. Em 2017, foram treinadas equipes de saúde de 25 municípios no Estado, qualificando médicos, enfermeiros, assistentes sociais e enfermeiros com o objetivo de ampliar a oferta do serviço ao interior.

Neste ano, alguns municípios terão que implantar, novamente, o serviço em função da alta rotatividade de profissionais nas unidades de saúde. No período de 18 a 23 deste mês de março, de acordo com a coordenação do SAVVIS, está previsto treinamento e qualificação de servidores públicos no município de Tabatinga, a ser realizado por equipe composta de profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e Secretaria do Estado da Saúde (Susam).

Deixe uma resposta