PF prende suspeitos de hackearem celulares de Moro e Dallagnol

A Inteligência da Polícia Federal está fechando o cerco contra o IntercePT. Nesta terça-feira (23), a Polícia Federal prendeu quatro suspeitos de terem invadido telefones celulares do ministro da Justiça, Sergio Moro, e do procurador da República em Curitiba (PR) Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato.

Foram cumpridas 11 ordens judiciais, das quais sete de busca e apreensão e quatro de prisão temporária nas cidades de São Paulo, Araraquara (SP) e Ribeirão Preto (SP).

A operação foi batizada de Spoofing – segundo a PF, “um tipo de falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é”.

A Polícia Federal já instaurou quatro inquéritos para investigar o vazamento de mensagens do celular do ministro da Justiça. Os investigadores estão colhendo indícios sobre a autoria, sobre quem teve acesso de forma ilegal a conversas privadas do ministro e sobre o método utilizado pelos hackers.

Para deflagrar a operação desta terça, a PF chegou aos suspeitos por meio da perícia, que conseguiu rastrear os sinais da invasão dos telefones.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *