‘Levantar cedo e ir correr é caminho para um infarto’, diz especialista

PORTUGAL – O presidente da Associação Portuguesa do Sono alerta para a prevalência na população portuguesa de doenças como a síndrome de apneia obstrutiva e a insônia crônica.

O maior risco à qualidade do sono “é a falta de respeito que há” por ele em Portugal, alerta a Associação Portuguesa do Sono, considerando que é necessário combater “uma cultura enraizada” na população de dormir pouco e sem regra.

“O maior risco é a falta de respeito que se tem pelo sono. Em Portugal, ainda não se valoriza o sono como algo essencial para o nosso bem-estar e a nossa saúde”, disse à agência Lusa o presidente da associação, Joaquim Moita, que alerta para a prevalência na população portuguesa de doenças como a síndrome de apneia obstrutiva (49% dos homens e 25% das mulheres têm ou virão a ter) e a insônia crônica (10% dos adultos).

Joaquim Moita sublinha que sem qualidade de sono podem surgir vários outros problemas, nomeadamente cardíacos – “em cada dez AVC, três ou quatro são em indivíduos com apneia do sono”.

Fonte: Agência Lusa

Deixe uma resposta