Justiça começa a ouvir réus da Operação “Maus Caminhos”

A enfermeira Jennifer Nayiara Yochabel Rufino Corrêa da Silva, ré na processo da Operação “Maus Caminhos”, foi ouvida na audiência de interrogatório dos acusados no processo que investiga desvio de R$ 276 milhões do segmento da saúde pública do Amazonas.

Além de Jennifer, serão ouvidos o médico Mouhamad Moustafa, Alessandro Viriato Pacheco e Priscila Marcolino Coutinho. A audiência é conduzida pela juíza Ana Paula Serizawa Silva Podedworny e pelo procurador da República Alexander Jabour. O médico é apontado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público como o chefe da organização criminosa..

Durante a audiência, Jennifer, que fechou delação premiada, a ré declarou que foi obrigada a assumir a presidência do Instituto Novos Caminhos, mas que não tinha poder de decisão dentro da empresa. A enfermeira declarou no depoimento que o médico teria comprado alguns bens em seu nome.

A organização

Numa auditoria feita pela Controladoria-Geral da União (CGU), foi constatado que o INC recebeu R$ 153 milhões a mais para a gestão de 165 leitos de baixa complexidade que o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto aplicou para a gestão de 378 leitos de alta complexidade.

Mouhamad Mostafa é sócio-administrador da Salvare Serviços Médicos Ltda e da Sociedade Integrada Médica do Amazonas Ltda (Simea), e controlava ainda a Total Saúde Serviços Médicos e Enfermagem Ltda, por meio de procuração emitida pela presidente do INC.

Mostafa é acusado de realizar articulações junto ao governo para obter acesso às verbas públicas de saúde e, assim, conseguir as liberações de pagamentos junto às secretarias de governo.

Nos bastidores políticos comenta-se que um político do Estado, detentor de um mandato federal seria o verdadeiro chefe da organização criminosa. Mouhamad seria apenas um “laranja”.

Durante o Governo de José Melo, o político conseguiu estruturar três jornais eletrônicos em Manaus, para os quais mandava repassar entre R$ 180 mil e R$ 250 mil para os donos dos portais e blogs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *