Governo corta “mamata” de artistas consagrados

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, vai reduzir de 60 para 10 milhões de reais o valor máximo captado pelas empresas para o incentivo a projetos culturais. Os patrocínios da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Petrobras e BNDES serão destinados a projetos com artistas desconhecidos. Durante o Governo PT foram gastos R$ 15 bilhões com “artistas” consagrados.

O Norte e o Nordeste do Brasil terão prioridade nas captações e não mais o eixo Rio/SP/BA, como aconteceu desde que a Lei entrou em vigor, bveneficiando artistas ligados ao Greupo da Bahia, liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil. O cantor e compositor Chico Buarque foi um dos maiores beneficiados pela Lei Rouanet, em virtude do apoio que dava ao ex-presidente Lula da Silva.

Ingressos

Parte dos ingressos (10,20, 30 e até 40% … dependendo do projeto) será destinado exclusivamente para pessoas de baixa renda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *