Gilmar Mendes quer mais dinheiro para as campanhas

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, admitiu em entrevista à Reuters que os recursos do fundo eleitoral aprovado pelo Congresso –no valor de 1,7 bilhão de reais– não serão suficientes para bancar a campanha de 2018 e que será necessário continuar com o debate de novas fontes de financiamento dos candidatos.

“Essa é uma discussão que vamos ter que prosseguir, o debate da suficiência dos recursos. É evidente que não serão suficientes”, disse.

Gilmar Mendes afirmou que uma das possibilidades que deverá ser discutida é um aumento no repasse para o fundo partidário, verba pública destinada a financiar os partidos políticos e que poderá, em parte, complementar os recursos para custear as campanhas políticas.

Para o presidente do TSE, o debate sobre o financiamento eleitoral das campanhas não vai se resolver “a contento” nem agora nem mesmo na campanha de 2018.

A questão, disse, tem mais a ver com o sistema eleitoral que, na sua avaliação, continua “muito irracional”. Ele citou o exemplo que, apesar da reforma política, continua o sistema proporcional com voto em lista aberta para eleição de deputados.

“Se os partidos não reduzirem o número de candidatos… Digamos que tenhamos 30 mil candidatos: como é que o sistema vai funcionar desta forma?”, questionou ele, que também é ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

 

 

Deixe uma resposta