Gestão previdenciária de Manaus atrai interesse de Humaitá e Rondônia

A gestão previdenciária e as conquistas nessa área pela Prefeitura de Manaus têm despertado o interesse de outros Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS). Neste mês de outubro, a Manaus Previdência recebeu representantes de outras regiões interessados em conhecer a organização da autarquia: o Instituto de Previdência Social dos Servidores Municipais de Humaitá (HumaitaPrev), município amazonense, e o Instituto de Previdência do Estado de Rondônia (Iperon).

“Manaus é reconhecida nacionalmente como modelo a ser seguido em gestão previdenciária, por sua organização e autonomia. Foi um trabalho que começamos em 2013, com a recuperação de aplicações ruins, que chamamos de fundos podres, e que hoje representam uma carteira de investimento saudável superior a R$ 1 bilhão”, destacou o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, completando que o auge dessa gestão previdenciária se deu com o decreto que concedeu autonomia ao órgão, protegendo-o de interferências políticas.

Segundo a diretora-presidente da Manaus Previdência, Daniela Benayon, antes do Conaprev, realizado em agosto, outros RPPS manifestaram interesse em conhecer a autarquia e, em julho, foi recebido o representante da Previdência de Roraima, que veio interessado nas ações da área de psicologia do Setor de Psicossocial. “São interesses em diferentes áreas e estamos sempre de portas abertas aos entes previdenciários que queiram conhecer melhor o nosso trabalho”, disse.

A visita por parte do HumaitaPrev começou efetivamente nesta quarta-feira, 2/10, quando o representante do instituto, o gestor de benefícios Jefferson Honda, acompanhou os procedimentos do Setor de Concessão de Benefícios (Scon) com a chefe da unidade, Alessandra Mendonça. “Estamos apresentando o passo a passo das instruções de aposentadoria, pensão, Certidão de Tempo de Contribuição e revisão de benefícios”, informou Mendonça.

Honda informou que a instituição tem interesse específico na instrução de processos de aposentadoria, a fim de reduzir o índice de devolução dos processos por parte do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM). “A Manaus Previdência é um instituto com bastante experiência, onde os processos são aprovados cem por cento pelo TCE. Então, vimos em busca dessas informações sobre como instruir os processos de forma correta, para que os documentos possam ser finalizados sem erros e enviados ao tribunal”, esclareceu Honda, acrescentando que, geralmente, as devoluções acontecem, por exemplo, por falta de documentos, de assinaturas e nomenclatura técnica, que por desconhecimento, não são adicionadas ao processo.

Em atividade desde 1º de janeiro de 2014, o HumaitaPrev administra 58 benefícios, sendo 48 aposentadorias e dez pensionistas, conforme Honda. Conta com três servidores: um superintendente, um diretor administrativo e financeiro e um gestor de benefícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *