Ex-procurador pede a Fachin para ficar em casa

A defesa do ex-procurador Marcello Miller (foto), apresentou, na tarde deste sábado (9), uma petição ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin contra o pedido de prisão que teria sido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Miller, que teria auxiliado o grupo J&F, de Joesley Batista, a fechar um acordo de leniência com a PGR (Procuradoria Geral da República), soube do pedido de prisão por meio de notícias veiculadas desde a noite de sexta-feira (8), quando o ex-procurador prestava depoimento no Rio de Janeiro. Até o momento, a PGR não confirmou se esse pedido realmente existe.

O ex-procurador pediu a Fachin para que negue “o pedido de prisão eventualmente formulado”. Se ele existir, os defensores querem que o ministro “ao menos que faculte acesso ao pedido de prisão preventiva formulado, possibilitando ao requerente apresentar esclarecimentos e considerações a seu respeito”.

Na petição, o ex-procurador ainda solicita que Fachin, caso decida pela prisão, a substitua por recolhimento domiciliar “dada a condição de advogado e, sobretudo, ex-membro do Ministério Público Federal, o que pode colocá-lo em situação de gravíssimo risco em um sistema carcerário”.

Passaporte à disposição

Assim como os outros dois alvos do pedido de Janot, Joesley e Ricardo Saud, executivo da JBS, Miller também colocou seu passaporte à disposição da Justiça e prometeu entregá-lo na sede da Polícia Federal, no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *