Editor do IntercePT confessa adulterações em mensagens

Nunca um ditado popular foi tão facilmente constatado; “Quem com ferro fere, com ferro será ferido”. Depois de vários ataques à Lava Jato, a máscara de Glenn Greenwald está caindo. E a verdade apareceu por meio das mesmas armas que ele utilizou.

O site “Agora Paraná”, através do jornalista Oswaldo Eustáquio, afirma ter gravado o editor do The IntercePT dizendo que, pelo menos uma das reportagens de Glenn Greenwald, foi adulterada.

O portal paranaense destaca que o editor do IntercePT, Leandro Demori, não sabia que estava sendo gravado.

Na gravação, que segundo Oswaldo Eustáquio foi feita em São Paulo, no Starbucks – Campus do Anhembi – Vila Olímpia – dia 28/06 às 19h, o editor do The IntercePT teria confessado o seguinte:

“Tava tudo errado. O que por exemplo estava errado? Tudo tava errado. Nomes, data, blocos, citação. Tudo errado.”

Oswaldo também explicou o contexto da frase acima:

“Embora Demori não soubesse que estava sendo gravado, o diálogo foi obtido de maneira lícita, pois o jornalista do site The Intercept falou isso em voz alta, visivelmente nervoso por causa daquilo que horas depois veio a tona: O site Intercept foi questionado por seus próprios leitores por erros graves em nomes, diálogos, datas e teve que se retratar por meio das redes sociais e de seu próprio site, informando erro de edição.”

A reportagem do Agora Paraná explicou “ter tirado uma foto da mesa onde estavam para garantir a autenticidade do fato, que também poderá ser atestado através dos áudios”
Para encerrar a matéria, Oswaldo complementou:

“ … nesta reportagem mostramos com detalhes que estava tudo errado, segundo o próprio editor-chefe do site, o que coloca em xeque o material divulgado pelo Intercept, que além de adulterado, é fruto de um crime e viola de forma direta o artigo 154 do Código penal brasileiro.”

*Com informações do Diário do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *