Bolsonaro faz “intervenção branca” no Ministério da Educação

O presidente Jair Bolsonaro perdeu a paciência com a administração do Ministério da Educação. O presidente decidiu iniciar uma espécie de “intervenção branca” no ministério, chefiado por Ricardo Vélez. O ministro foi chamado ao Palácio do Planalto na última quinta-feira (7), para ser informado da decisão do comando do governo de iniciar a substituição de assessores e secretários do MEC. Segundo fonte do Planalto, nesta fase inicial podem ser dispensadas até oito pessoas.

A decisão de fazer “uma limpeza” no MEC foi motivada por erros e constrangimentos provocados inclusive nas redes sociais. Bolsonaro reafirmou ter grande respeito pelo filósofo Olavo de Carvalho, mas não permitirá que ele administre o MEC por meio de “discípulos”.

Ao ser informado da decisão do Planalto, o filósofo foi às redes sociais pedir que seus seguidores abandonem o governo.

Bolsonaro que uma política no MEC que priorize políticas educacionais sem abordagem ideológica, ou seja, os alunos devem ter acesso a todas as correntes e, a partir daí, formar sua própria opinião. Manifestações confusas nas redes sociais irritaram o presidente.

A decisão do presidente vinha sendo amadurecida desde janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *