Visa apreende mais de 20 mil litros de leite

Manaus (AM) – Em atendimento a uma denúncia anônima sobre venda de leite de caixa fora das condições de consumo, a Vigilância Sanitária da Prefeitura de Manaus (Visa Manaus) apreendeu 20,1 mil litros do produto em um supermercado atacadista, no centro de Manaus. A apreensão ocorreu nesta quinta-feira, 7/2. Amostras dos oito lotes de leite da marca denunciada já foram encaminhadas para análise laboratorial.

O fiscal Augusto Kluczkovski Jr., que coordenou a ação de fiscalização, informou que o produto permanecerá apreendido em depósito, no próprio supermercado, e poderá ser liberado para venda caso as análises não apontem problemas de qualidade. Os testes serão feitos em dois laboratórios de saúde pública (um da rede municipal e outro da rede estadual) e a previsão, segundo o fiscal, é que os resultados saiam em até cinco dias.

De acordo com a denúncia, uma caixa do leite, comprada no início desta semana e válida até o próximo dia 18, estava coagulado (“talhado”). Augusto explicou que problemas desse tipo ocorrem normalmente por conservação inadequada, por erro do fabricante na dosagem do conservante (para mais ou para menos) ou por contaminação microbiológica. “A confirmação ou descarte de uma das hipóteses será feita a partir dos exames microbiológicos e físico-químicos”, informou.

Todos os lotes apreendidos estavam dentro da validade, com data de vencimento nos dias 18, 19 e 20/2. “Apesar disso, diante da denúncia e atendendo ao princípio da precaução, todo o estoque foi apreendido, estando suspensa a venda ao consumidor até que a Vigilância obtenha o resultado das análises”, observou o fiscal.

Cuidados

Augusto Kluczkovski Jr. ressaltou que, para não comprometer a qualidade dos produtos alimentícios, revendedores e consumidores devem observar as recomendações do fabricante.

Um dos aspectos sensíveis à conservação diz respeito à temperatura na qual os produtos devem ser mantidos. “As temperaturas variam de um item para outro: uns devem ficar a 5ºC, outros a 7ºC ou a 10ºC, então quem vende os produtos tem que identificar a menor temperatura exigida e fazer a programação do freezer de acordo com ela”, explicou.

O fiscal lembrou que mesmo os itens que não exigem refrigeração têm uma temperatura máxima de exposição, que normalmente é de 30ºC. “Para manter a qualidade dos alimentos, todas as recomendações de conservação devem ser atendidas”, disse Augusto, alertando que, sem isso, os produtos à venda podem se tornar impróprios mesmo dentro da validade.

A fiscal nutricionista Gizeli Giffoni, que também participou da ação no supermercado, ressaltou que o consumidor, da mesma maneira que o revendedor, deve dar atenção às condições de armazenamento e consumo dos produtos alimentícios. “Os cuidados começam nas compras”, disse a fiscal.

Denúncias

A gerente de Vigilância de Produtos da Visa Manaus, Hellen Souza, orienta os consumidores a entrarem em contato com a Vigilância Sanitária pelo 0800 092 0123, nos casos de suspeita de irregularidades e orienta para que anotem sempre o número do lote (em alguns alimentos o lote é a própria data de fabricação) e outras informações disponíveis na embalagem, como endereço ou número de registro da fábrica, e que apresentem o cupom fiscal para facilitar o trabalho de rastreabilidade.

“Isso permite que os fiscais identifiquem o lote de produção e todo o caminho percorrido desde a fabricação até a distribuição ao ponto de venda onde o item foi adquirido”, informa a gerente, explicando que o problema da qualidade pode estar em qualquer dessas etapas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *