Universitária e perigosa

A Polícia Judiciária Civil (PJC) de Colíder (650 km de Cuiabá) deflagrou a ‘Operação Arlequina’, na última terça-feira (5), com o objeto de cumprir dois mandados, sendo um de busca e apreensão e o outro de prisão, contra a estudante universitária Alessandra Machado, de 19 anos. A acusada seria a mentora intelectual de diversos roubos que aconteceram na região. Ela tem diversas passagens, sendo uma delas por ter cometido um assalto contra a própria madrasta.

A jovem começou a ser monitorada desde que saiu da prisão, ocorrida em Sinop no mês de abril, quando foi detida ao tentar levar uma caminhonete Hilux roubada para Pontes e Lacerda, que fica próximo da divisa com a Bolívia, para onde grande parte dos veículos são levados após serem tomados de assalto.

As investigações apontaram ainda que a jovem é suspeita de ter dado suporte a três assaltos a residências. Em um deles, ocorrido em julho deste ano, uma das vítimas foi baleada na cabeça, no bairro Sagrada Família. O tiro foi de raspão e a caminhonete também foi levada. Alessandra seria mentora intelectual dos crimes.

Segundo o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva, a jovem tem diversas passagens pela polícia. Um dos casos foi registrado na cidade de Nova Canaã do Norte, onde a suspeita teria cometido um roubo majorado contra a própria madrasta. Na ocasião, ela subtraiu – mediante violência e grave ameaça – o celular e a motocicleta da vítima.

A suspeita já foi ouvida e encaminhada para a cadeia pública da cidade. A operação foi denominada ‘Arlequina’ por conta da personagem fictícia de mesmo nome, que é companheira do Coringa. Na estória, o palhaço é muito querido pelos marginais, tanto que alguns chegam a tatuá-lo.

Deixe uma resposta