Petista é acusada de ficar com salário de assessora

A 1ª Turma do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) aceitou a denúncia contra a deputada federal Erika Kokay pelo desvio de parte do salário de uma assessora parlamentar, que trabalhou em seu gabinete na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), no período de 2006 e 2007.

Antes, o caso tramitava no Supremo Tribunal Federal (STF), porém após a restrição do foro privilegiado o caso passou a ser analisado na primeira instância.

Segundo a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), de dezembro de 2017, a petista que na época era deputada distrital, ficou com parte do salário da assessora.

Ainda de acordo com a denúncia, foi identificado com a quebra de sigilo bancário o repasse de R$ 14,9 mil para a conta bancária da deputada, assim como, para a conta de Alair José Martins Vargas que era seu chefe de gabinete.

A deputada nega a acusação e afirma que ela mesma vai fazer a defesa e “provar” sua inocência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *