Ministro Gustavo Canuto na rota da exoneração

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, está limpando as gavetas. Considerado o ministro com pior desempenho, Canuto, sabe que sua demissão é questão de tempo.

Em estado de repouso absoluto, como quem não quer ser notado para ficar no cargo, Gustavo Canuto deve ser demitido no primeiro rearranjo político.

Em virtude do clima de monotonia no moniostério, o secretario-executivo Antonio Carlos Futuro viu que ali não poderia honrar o próprio sobrenome, e pegou o beco.

Futuro aceitou convite do ministro Jorge Oliveira e hoje é secretário-executivo (ou “vice-ministro”) da Secretaria-Geral da Presidência.

Estranhamente, o ministro Gustavo Canuto tem ótimo currículo. É inclusive especialista em políticas públicas e gestão governamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *