Médicos cubanos querem permanecer no Brasil

Após Cuba se retirar do programa Mais Médicos e ordenar que os médicos cubanos retornem ao país de origem, aproximadamente 150 profissionais do programa estão recorrendo à Justiça para permanecerem no Brasil. “Recebi muitas ligações de interessados em entrar com processo para ficar no Brasil”, disse o advogado André de Santana Corrêa

Nesta semana, o presidente eleito Jair Bolsonaro informou que mudou os termos do Mais Médicos. “Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou”, informou em seu Twitter.

A postura do Governo de Cuba em ordenar a volta dos residentes que aqui estavam comprova o que a direita há muito denuncia: o Mais Médicos era uma forma do PT financiar a ditadura cubana. Segundo apuração do UOL, o convênio do Mais Médicos, firmado entre o Brasil com a ditadura cubana em 23 de abril de 2013 já custou aos cofres públicos R$7,1 bilhões.