Servidores penalizados pelo Governo do Estado

Os servidores do Amazonas estão sendo penalizados pelo Governo do Estado. O eleitor acreditou na mudança, mas errou na escolha. As manifestações dos funcionários mostra que a paciência está acabando.

O governo do Amazonas afirma que está em crise, mas teve um crescimento de R$ 876 milhões entre janeiro a junho de 2019, em relação ao mesmo período do ano passado, o que representa um crescimento de 9,1%.

Os dados podem ser conferidos no Portal da Transparência. Segundo a Secretaria de Fazenda do Estado (Sefaz), de janeiro a junho de 2018, o valor total arrecadado pelo Executivo foi de R$ 8.887 bilhões. Em 2019, os números saltaram para R$ 9.763 bilhões.

A arrecadação estadual vem crescendo desde 2016, quando o valor contabilizado no mesmo período foi de R$ 7.076 bilhões e, em 2017, aumentou para R$ 7.317 bilhões. Deste total, R$ 2.230 bilhões foram recebidos pelo governo federal entre janeiro e junho deste ano.

O governador, entretanto, propôs e a maioria dos deputados estaduais aprovou o congelamento dos salários dos servidores até 2021. Wilson Lima e seus assessores demonstram incompetência para implementar uma política de redução de despesas.

Os próprios amigos do governador comentam que o pagamento da primeira parcela do 13º salário, programado para este mês, não será feita. Os pagamentos dos salários podem atrasar a partir de outubro. Tudo com o aval dos deputados. O governador diz não ter recurso, mas os números desmentem a narrativa.

Para onde foi a arrecadação extra do primeiro semestre? Quem está lucrando com o caos que está se instalando? Quem está se beneficiando com o fato dos professores aprovados no último concurso não terem sido convocados?

Alguns deputados comentam que se Wilson Lima não mudar o rumo do Governo, poderá enfrentar forte oposição no legislativo estadual.

Os eleitores erraram e já tomaram consciência disso. A “bronca” agora é com o povo. E não adianta dizer que a mobilização contra o governador é política. É, sim, um claro sinal que a população não vai mais aceitar os grupos que comandam o Governo.

Você, caro leitor, aceita receber seu salário em parcelas, como aconteceu no Rio de Janeiro? Este é o cenário imposto por um chefe do executivo que prefere festas à cumprir os compromissos.


Rosalvo Reis

Rosalvo Reis

Editor do Portal Roteiro de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *