O “rei” e os homens bons

Você, caro leitor, já deve ter conhecido a manifestação artística de Paulo Hugo Morais Sobrinho, mais conhecido como Paulinho Pedra Azul. O cantor, poeta, artista plástico e compositor mineiro, escreveu: “Todo mundo quer ser rei, nas costas de um homem bom”.

É isso! “Paladinos” somente o são contra os bons homens, contra os magistrados que verdadeiramente fazem a diferença na prestação jurisdicional e, fundamentalmente, contra os magistrados do primeiro grau.

Mas, para concluir os parágrafos deste início do texto, vale levantar a seguinte questão: por que os “paladinos” não adotam a mesma postura quando os possíveis agressores são os ministros do STF?

É inevitável a comparação daquele machão que bate fisicamente na sua mulher dentro de casa, mas que na rua é um frouxo.

Entendo que os membros do STF estão comprometidos até o pescoço com os corruptos. Os “paladinos” são, na realidade, pagos para minar a primeira instância, onde estão os magistrados que estão condenando os maiores bandidos deste país.

Um dos “paladinos” conhecido é o advogado e “bandido de carteirinha” Tacla Duran. Este é pago pelo PT e PMDB para perseguir o juiz federal Sérgio Moro. Milionário em virtude do dinheiro desviado pelo PT, Tacla, da Espanha, costuma proferir ofensas diárias ao magistrado.

O juiz tomou uma atitude para “pegar” o meliante: mandou monitorar a rota do dinheiro que o PT desviou dos brasileiro. Como não pode extraditá-lo, vai atingi-lo no ponto mais sensível: o bolso.

Que em 2018, tudo se resolva. A possível condenação de Lula na segunda instância pode encerrar o período mais nefasto da História do Brasil.

* Rosalvo Reis é professor de Física e jornalista