A viagem no tempo

Seria realmente possível uma viagem no tempo? Físicos observaram que dois fótons que viajam no tempo iriam interagir, sugerindo que, pelo menos em um nível quântico, saltar ao longo do tempo pode ser possível.

Muitos pesquisadores ainda não acreditam nas observações em virtude do paradoxo descoberto por Kurt Gödel em 1949, conhecido como “paradoxo dos avós”, onde um viajante do tempo poderia impedir seus avós de se conhecerem, evitando, assim, seu próprio nascimento.

Resultados

Na simulação, os pesquisadores examinaram dois resultados possíveis para um fóton viajando no tempo:

No primeiro, o fóton número um viajaria através de um buraco de minhoca para o passado e interagiria com a sua versão mais antiga. No segundo, o fóton dois viaja através do espaço-tempo normal, mas interage com um fóton que está preso em um loop que viaja no tempo através de um buraco de minhoca, conhecido como curva fechada de tipo tempo.

Esse estudo mostra que a viagem no tempo é possível em um nível quântico – o que refere-se as menores partículas que podem existir de forma independente, como fótons. Se esta mesma simulação é possível para partículas maiores ou grupos de partículas, tais como átomos, ainda não é possível saber.

Fico a pensar: e se o mundo for apenas uma ilusão? Sabemos que a ideia de tempo, como a concebemos está errada. O tempo não pode ser dissociado do espaço. Alguns cientistas dizem que o conceito de morte só ocupa a mente humana porque enxergamos o tempo clássico.

Outra questão se refere ao fato de que existimos em outras dimensões e que, neste mundo em 3D, seria apenas uma projeção de nossos pensamentos. As ideais ainda fogem da compreensão da maioria das pessoas, mas caminhamos em alta velocidade para a elucidação do mistérios da vida.

*Rosalvo Reis é professor de Física e jornalista