Por quê Você vai se Amarrar em “Samantha!” (Netflix)

A nova série do Netflix, protagonizada por Emanuelle Araújo, promete divertir o espectador de maneira hilária, e… ao contrário do que as artes promocionais da série possam sugerir, não… não é uma série infanto-juvenil.

Acompanhamos a trajetória de Samantha, ou melhor, “Samantha!” (com exclamação no final) rumo ao estrelato. Ela, que, quando criança, era a líder de uma banda musical mirim que fazia o sucesso da criançada em programas de auditório, agora, como adulta, tenta fazer a vida em modestos shows pequenos direcionados a um nicho extremamente saudosista, sem conseguir a projeção que quer alcançar.

É uma questão de tempo até que ela consiga se reinventar para encontrar o seu lugar na mídia ao Sol… e voltar aos tempos de estrela.

1. Pessoa vs Personagem

A série aborda de maneira genial como os eventos da vida pessoal de uma pessoa podem influenciar ou não sua vida profissional, ou, no caso, como elas podem ser maniqueistamente conduzidas para se harmonizarem de maneira conveniente para realavancar uma… personalidade da mídia… à fama.

A belíssima Emanuelle Araújo está soberba em sua interpretação, tendo um ótimo timing para comédia. Sendo a menos caricata das personagens da série, consegue conceber uma personagem tangível, tão carismática quanto oportunista.

Apesar de ser uma pessoa razoavelmente ética, sua personalidade e sua personagem às vezes, se confundem. Quando ela não está interpretando literalmente, por vezes ela “interpreta” em sua vida pessoal para conseguir interpretar em sua vida profissional, ou melhor, para poder se exibir… para bem ou para mal…

2. Bastidores do Show Biz

Participar de comerciais, voltar a aparecer com seu ex-marido ex-jogador de futebol, ser jurada de um programa de calouros, e até mesmo, protagonizar um “reality” show sobre sua vida amorosa, são algumas das oportunidades que ela agarra para se fazer no show biz.

Conforme vai ficando mais velha, Samantha! vai tendo que se atualizar em seu mercado, encontrando formas de continuar sendo interessante para o grande público das gerações atuais, ainda mais em tempos onde a TV vem perdendo espaço para a internet.

Em cada uma dessas oportunidades, a série aproveita para tecer críticas sociais ácidas sobre o mundo da fama… tudo da maneira mais engraçada possível.

3. Humor Non-Sense

Além de diálogos expositivos hilariamente satíricos e dos trejeitos de Emanuelle Araújo, o non-sense de certas situações torna a série um primor.

Destaque para a caracterização estereotipada dos jurados típicos de programa de calouros, no qual Samantha! participa, chamado “Enjaulados Kids”.

A futilidade do conteúdo de certos comunicadores, sobretudo no âmbito da internet, é abordada de maneira inteligentemente exagerada. Há também cenas hilárias envolvendo os filhos do casal Samantha! e Dodói, que possuem um senso crítico invejável para sua idade.

A própria caracterização do passado artístico da cantora nos anos 80, já são um non-sense por si só. Não poderia faltar a incrível falta de pudor típica da época: a presença do mascote do programa Zé Cigarrinho – nada menos do que uma embalagem de cigarro ambulante – exemplifica bem isso, numa época em que a TV costumava mostrar mulheres seminuas dançando sensualmente em programas de auditório de cunho infantil.

4. Nostalgia

A maior parte das piadas pode ser entendida por pessoas de qualquer parte do mundo, já que são referentes ao mundo do entretenimento em geral.

Porém, há uma série de referências ao mundo da TV brasileira, que só a galera BR vai compreender, e sentir aquela magia nostálgica da infância. A começar pela própria protagonista, que é quase obviamente inspirada na cantora Simony, assim como seu grupo não tem como deixar de lembrar o “Balão Mágico”.

A profusão de cores, os figurinos com detalhes metalizados, os maiôs, os pompons de torcida, a boneca personalizada como a cantora, tudo nos transmite aquela aura dos anos 80 que também se estendeu aos anos 90, em programas como os da Eliana, Angélica e, claro, o Planeta Xuxa, em que a apresentadora aparecia no palco vindo em um disco voador rosa-choque…

Não deve ser à toa que a letra principal do grupo de Samantha! – os Plimpons – seja: “era um disco multicor, um disco voador…”

Personalidades como Sílvio Santos, Fofão, Mara Maravilha, Ronaldinho, Faustão, Ivete Sangalo e até a recente Larissa Manoela são referenciados direta ou indiretamente em várias piadas e situações.

Há também participações especiais, como a de Gretchen e Alice Braga, que é uma das produtoras executivas da série.

5. BR na área, mano!

Vale a pena conferir a primeira comédia brasileira da Netflix, e a terceira série do país a ser produzida em parceria com a rede de streaming.

Depois da ficção científica “3%” e do thriller político “O Mecanismo”, “Samantha!” vem para ampliar o potencial versátil de nossa produção nacional, representando com sofisticação a qualidade da comédia. Tematicamente, ainda, os clichês da indústria do futebol, da publicidade e do entretenimento brasileiros estão lá.

A Netflix, assim, pode apresentar um pouco da nossa cultura aos gringos, ao mesmo tempo que promove à nós identificação e orgulho, por uma representação tão visceral quanto autocrítica de tradições audiovisuais e culturais do nosso país.

Fábio Reis é graduado em Design Industrial pela UFAM