Trabalhar fora do escritório é produtivo?

Sim! Vou logo adiantando e nem precisa pensar muito pra saber a resposta: com o trânsito cada vez mais caótico, péssimo serviço de transporte urbano e todo o tempo gasto para chegar ao serviço e voltar pra casa nem precisamos buscar outros motivos que contribuam pra que muita gente queira despachar o expediente de casa! O home office se transformou em tendência e cada vez mais as empresas estão preferindo que parte de seus profissionais atue nesse modelo, seja por economia de recursos ou seja por proporcionar mais bem-estar e conforto ao funcionário – ou por ambas razões-, o negócio é que o profissional que pode escolher acaba optando mesmo por qualidade de vida e a flexibilidade do home office!

E é lógico que o funcionário sob essa condição, fará o possível pra realizar suas entregas da melhor maneira, pois – no mínimo – está produzindo sem aquela pressão do ambiente de trabalho, está mais relaxado e menos estressado.

Home ou sem lugar fixo?

Porém, nem só de maravilhas vive o home office. Os pontos frágeis são a possibilidade de dificultar a comunicação entre o time e meio que desvincular o profissional do ambiente ou da estratégia da empresa. Ah! Sem contar que essa modalidade exige muito foco e disciplina por parte do profissional. Mesmo assim, começa a tomar corpo um novo modelo de trabalho, que é quando o profissional trabalha sem lugar fixo, bastando apenas uma boa e confiável conexão de internet em qualquer parte do globo terrestre. Será que isso é produtivo?

Produtividade em xeque

Reportagem da revista Época on-line menciona alguns estudos bem interessantes sobre esse assunto. Um deles, de 2017, revelou que o profissional médio estava disposto a receber um salário 8% menor para trabalhar de casa. Na mesma direção, outro estudo de 2015, baseado em uma agência de viagens chinesa, observou que os funcionários de um call center eram 13% mais produtivos na modalidade home office.

Agora, o mais curioso em relação ao aumento da produtividade fora do ambiente corporativo, partiu do artigo publicado no Harvard Business Review, pelos pesquisadores Prithwiraj (Raj) Choudhury e Cirrus Foroughi, da Harvard Business School, e Barbara Larson, da Northeastern University, que mostraram os efeitos dessa nova modalidade de trabalho remoto em um estudo realizado em 2012 com funcionários do Escritório de Patentes e Comércio dos Estados Unidos (USPTO).

Os pesquisadores chegaram à conclusão que a produtividade dos profissionais aumentou 4,4% depois que migraram do home office para trabalharem sem lugar fixo. Em termos de economia, isso representa até US$ 1,3 bilhão para os Estados Unidos. Enfim, são diferentes contextos, culturas e segmentos, mas, se for pra ser feliz e aumentar a produtividade, está valendo!


Cristina Monte

Cristina Monte

Jornalista, especialista em Comunicação Empresarial (Cásper Líbero), Responsabilidade Social (FUCAPI) e em Divulgação Científica em Saúde na Amazônia (FIOCRUZ-AM). Além disso, Cristina é graduada em História pela UFAM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *