Manaus: um caso de amor

Manaus comemora mais um aniversário e é impossível não recordar a minha trajetória nesta terra coberta por rios e por tantas riquezas naturais. Como paulistana da gema, confesso que vir para Manaus em 1998, me pareceu estar indo a outro país. Geralmente, quem mora no Sudeste ou no Sul não enxerga vida fora dessas regiões e eu também tinha essa visão embaçada.

Também devo confessar que os primeiros momentos em Manaus não foram nada fáceis. Lembro perfeitamente da sensação da falta de ar que experimentei quando pisei pela primeira vez em solo manauara, assim que desci do avião. Achei que não fosse conseguir respirar nunca mais, mas foi quase como um ritual de passagem. Vencido o primeiro sacrifício me vi preparada para suportar o calor e a umidade constantes.

Intens(a)idade

Recordo ainda dos primeiros temporais. Meu Deus parecia que o fim do mundo estava prestes a chegar: céu escuro, uma ventania danada e os gritos dos trovões ecoavam na minha alma. Fiquei assustada. Era uma chuva gorda e intensa, como tudo em Manaus. Sim, sim aqui tudo é muito intenso e só fica na brincadeira quem aguenta seus humores. Que me corrija o sol escaldante se eu estiver errada!

Se você veio de outro estado, provavelmente, ou ama muito Manaus ou a odeia. Aqui não tem meio termo. Esse negocinho de mais ou menos é pra outros lugares, Manaus tem muita personalidade pra provocar somente reações meio incertas e sem posicionamento bem definido.

Vencendo o jogo

Por conta disso, já vi muita gente retornar ao estado de origem. Muitos maridos vieram trabalhar aqui e as esposas não aguentaram o possível tédio que Manaus mostra à primeira vista, mas é só à primeira vista. Deixa eu te explicar uma coisa: imagina um jogo de vídeo game que você vai vencendo e superando as etapas, entende? Então, Manaus não se entrega de cara! Faz charme, pose de madame, tem um ar de marrenta e boçal.

Pra poucos

Aí, se você superar as fases, tudo muda. Você finalmente adentra um espaço só pra vip. Você passa a conhecer o lado feminino desse imenso útero que abriga inúmeras espécies vegetais, animais, minerais e sua gente sempre de braços abertos. Como a mãe que reparte a fartura do alimento a todos os rebentos, Manaus é generosa e hospitaleira, concede sempre uma nova oportunidade às criaturas. É amor maternal!

Tête-a-tête

Eu, que adoro um desafio, me pus a desvendar esses mistérios e ver até onde avançaria nesse jogo. Fui zerando as etapas e fiquei cascuda, não arredei o pé. A convivência nos forçou a aproximação. Primeiramente, meio sorrateira e, depois, virou um caso de amor. Tudo muito intenso! Hoje, Manaus me presenteia com qualidade de vida e momentos mais pacatos, dignos de quem ama viajar, mas ama mais ainda retornar ao seu oásis.

Mesmo assim, o destino tentou mudar meus caminhos e me levou de volta a São Paulo em 2000, mas Manaus não aceitou a tal investida e me resgatou em 2006. Afinal, a saudade já era grande demais e assim por aqui fiquei, vivendo intensamente a porção de vida que me cabe. Estudando, trabalhando, aprendendo, criando meus filhos, construindo e desenvolvendo meus projetos, e vivendo em comunhão com esse santuário, apenas como uma cabocla-quase-da-terra, que não abre mão de um baré geladinho e uma tigela de açaí. É o respeito mútuo que fortalece nosso laço.

Homenagem na cuia

E pra prestigiar Manaus, lancei em abril o meu blog Na Cuia da Cris, espaço para divulgar meus artigos publicados no Jornal do Commercio. A cuia ganhou o ressignificado da mente que recebe as informações e reflete, digeri e absorve o alimento fruto do conhecimento, da sabedoria e do aprendizado. Foi a forma que encontrei de prestigiar Manaus, reverenciando as populações indígenas e ribeirinhas, por meio de um utensílio tão importante para essas comunidades.

Agora, nessa data especial, estou lançando o portal, com o mesmo nome e que traz, além dos meus 60 artigos, notícias sobre empreendedorismo, mercado de trabalho, educação e outras. Além disso, o portal recebe artigos de outros profissionais comprometidos com a sociedade e que, portanto, compartilham seus conhecimentos com os internautas.

É o meu presente a essa cidade querida, que guarda os melhores anos da minha vida! Parabéns Manaus!

www.cristinamonte.com.br

*Cristina Monte é jornalista, especialista em Comunicação Empresarial (Cásper Líbero), Responsabilidade Social (FUCAPI) e em Divulgação Científica em Saúde na Amazônia (FIOCRUZ-AM). Além disso, Cristina é graduada em História pela UFAM.