Deputados de Roraima discutem incorporação do Estado ao SIN

Uma comitiva formada por 10 deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima (Aler), 1 deputado federal e uma vereadora de Boa Vista, esteve na manhã desta segunda-feira (11), na sede da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM).

O grupo esteve presente no Parlamento amazonense para participar da Audiência Pública proposta pelo deputado estadual Sinésio Campos (PT), com o objetivo de discutir a incorporação de Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e os entraves envolvendo reservas ambientais e populações indígenas com a construção do Linhão de Tucuruí.

A comitiva roraimense veio formada pelos deputados estaduais Jânio Xingu (PSB), Soldado Sampaio (PCdoB), Lenir Rodrigues (PPS), Ione Pedroso (SD), Nilton do Sindipol (Patri), Jeferson Alves (PTB), Neto Loureiro (PMB), Chico Mozart (PRP), Betânia Medeiros (PV) e Coronel Chagas (PRTB). Completaram a comitiva o deputado federal Antônio Nicolette (PSL) e a vereadora Aline Rezende (PRTB).

O deputado Neto Loureiro assinalou que o estado de Roraima é o único do Brasil que está excluído do SIN e a população vive um clima de insegurança energética muito grande ao longo dos anos. Para ele, “essa insegurança impossibilita a conquista de investimentos através de empresas e indústrias porque elas temem prejuízos devido à falta de energia. A maior parte da energia consumida é comprada da Venezuela, que hoje enfrenta uma grave crise econômica e humanitária, por isso, precisamos discutir e verificar junto às instituições envolvidas quais os entraves e tentar resolvê- los para que as obras sejam iniciadas. O impasse sobre a construção vem desde 2011”.

De acordo com o vice-presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, Jânio Xingu, as tratativas para realizar essa Audiência tiveram início no Parlamento Amazônico, grupo de deputados da Amazônia Legal brasileira voltado para defender os interesses econômicos e sociais da região. “Colocamos novamente essa demanda em discussão na qual esperamos tirar frutos concretos e, com isso, sensibilizar as autoridades nacionais para que a obra se torne realidade, pois já se passaram anos e ela nem começou. Os parlamentares querem garantir a efetivação desta obra, cuja falta prejudica de forma brutal o povo roraimense”, destacou.

O deputado Soldado Sampaio afirmou que o fato de o Estado ser o único do país que não é interligado no sistema nacional é prejudicial para a economia local. “Hoje, o Estado é abastecido pela energia elétrica gerada na Venezuela desde o ano de 2001, ligação essa entre Boa Vista e o complexo hidrelétrico de Guri, em Puerto Ordaz, feita pelo Linhão de Guri.

A dependência da energia da Venezuela coloca o Estado em risco de ficar no escuro. A energia de Guri está sujeita a corte total, por falta de manutenção na rede ou pelo cenário político do país vizinho”, observou.

Para Jeferson Alves, a situação de Roraima é crítica, pois o Estado está vivendo de fornecimento de energia de termelétricas devido à suspensão da energia de Guri, da Venezuela. “O Estado está sendo servido de uma energia cara e poluente, além de ser de péssima qualidade e, como o Amazonas é nosso irmão mais próximo, estamos aqui juntando forças para poder debater essa situação e resolver essa questão do linhão de Tucuruí.

O grande entrave é que esse linhão cruzará 125 quilômetros de território indígena e as empresas não têm autorização para entrar nas terras do povo Waimiri-Atroari, situação essa que deve solucionada para que o processo de construção seja iniciado”,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *