‘Inclusão geral de municípios na reforma pode gerar economia de R$ 170 bilhões’

Benjamin Constant (AM) – Do jeito que está, a reforma previdenciária poderá se transformar em uma grande frustração, afirma o prefeito de Benjamin Constant, David Bermeguy, que defende a inclusão, sem discriminação, de todos os municípios na reforma, o que garantiria uma economia de R$ 170 bilhões em dez anos.

Essa é a posição oficial da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que, segundo David, possui estudo que aponta as imensas vantagens financeiras para o país se a reforma alcançar todos os mais de 5 mil municípios brasileiros.

“Somos totalmente a favor da inclusão e é por isso que os prefeitos estão em Brasília protestando, gritando, pois os deputados não podem dar as costas para os municípios. Como fica um país com uma legislação e os estados e os municípios com outra ? Será uma bagunça”, critica Bermeguy.

Conforme o estudo da CNM, pelo texto atual da reforma 2.108 municípios ficarão de fora das novas regras de aposentadoria, enquanto outros 3.460 serão incluídos. A primeira parte é relativa aos municípios que possuem Regime Próprio de Previdência Social (RPPS). A segunda se refere a municípios que integram o Regime Geral de Previdência Social (RGPS). O presidente da CNM, Glademir Aroldi, diz que a inclusão geral dos municípios geraria uma economia da ordem de R$ 170 bilhões em 10 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *