Augusto Ferraz critica debate sobre pobreza no Inpa

Manaus (AM) – O deputado Augusto Ferraz (DEM), iniciou na manhã desta segunda-feira (15), seu discurso da tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), tecendo críticas à realização de um debate no Instituto Nacional de Pesquisas do Amazonas do (INPA) sobre pobreza na Amazônia.

Em tom de revolta, Ferraz assinalou que o debate a ser feito deveria ser
sobre assaltos que estão fazendo dentro do governo do Amazonas. “Este sim, deve ser o debate a ser feito, pois estão saqueando os cofres públicos. Como é que vamos fazer debate sobre pobreza, se não temos meios de estancar a ação nefasta dessas quadrilhas que estão instaladas dentro do governo saqueando os cofres do Estado”, apontou Ferraz.

“Do jeito que está nada vai mudar, vamos continuar sempre na pobreza.
Só vamos poder estagnar essa situação de penúria que se abate sobre a
população se, primeiramente, tirarmos de ação essas quadrilhas que operam dentro da administração do governo”, continuou.

De acordo com o deputado, o que mais se ouve nos dias de hoje é o
anúncio que precisamos de homens experientes, preparados e
compromissados para fazer gestão. “Mas como vamos nos preparar se não tivermos oportunidade para atuar e realizar uma boa gestão?. O que eu acho é que eles querem dizer da seguinte maneira: precisa-se de homens que tenham experiência, mas a experiência que eles querem é a experiência para formar quadrilha para saquear e deixar o Estado do Amazonas mais pobre do que já está hoje”, destacou finalizando com uma referência à Operação “Cash Back”, que prendeu pessoas influentes ligadas ao esquema que desviou dinheiro da saúde público.

“Homens com experiência desse tipo tem muito por aí, a exemplo dos
integrantes da quadrilha de presos na semana passa na operação “Cash
Back” acusada de desviar de mais de R$ 600 milhões e, o mais
interessante: nós os empresários trabalhando e empregando pessoas
gerando emprego e renda e, esses “patifes” surrupiando o dinheiro público, da saúde, principalmente”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *