Cultura e Lazer

Ver Todas

Bar do Cipriano promove Carnaval Solidário

Neste ano o Carnaval do Bar do Cipriano vai reunir foliões solidários! A festa, marcada para o próximo sábado (27), a partir das 17h, será repleta de samba, diversão e …

Circuito Esportivo

Ver Todas

Neymar ‘voa’ e Muralha vai para a Terra do Sol Nascente

O goleiro Muralha foi emprestado ao Albirex Niigata, do Japão. O período do empréstimo de será de 11 meses e o clube japonês terá opção de compra sobre o jogador. …

Positivo


Stédile é ‘barrado no baile’

O invasor de propriedades particulares e amigo íntimo do ex-presidente Lula, João Pedro Stédile, integrante da direção nacional do MST, foi intimado na quinta-feira, 18/1, por decisão da Justiça Federal do Rio Grande do Sul, que proíbe a realização de acampamento nas proximidades do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). O despacho, assinado pelo juiz federal Osório Avila Neto, foi motivado por uma Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público Federal. Na petição inicial, os procuradores afirmam que os manifestantes que irão às ruas de Porto Alegre em defesa de Luiz Inácio Lula da Silva estariam predispostos a provocar violência e vandalismo. Stédile foi um dos grandes beneficiado com os recursos desviado pela organização criminosa chamada de PT.

Negativo


O PT quer um cadáver

No próximo dia 24, no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) haverá o julgamento, em 2ª Instância, do processo no qual o ex-presidente Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses pelo juiz Sérgio Moro, no caso do tríplex do Guarujá. Todos os ritos desses processos, originados na Operação Lava Jato, tem se dado na exemplar aplicação da lei. É inaceitável, portanto, que aliados do réu estimulem a violência para livrar-se de condenações e consagrar a ação antidemocrática do PT. Insuflar a militância ao confronto é irresponsabilidade. Aliás, o ex-presidente vive num mundo de contradições, com acusações infundadas à Policia Federal, à Lava Jato e ao juiz Moro, ou creditando a órgãos de imprensa o calvário que ele próprio edificou. O PT quer um cadáver para chamar de seu.